Um sol de matar!

Ele era preto. E, sob aquele sol, isso era um problema: ele esquentaria ainda mais. Na sua linguagem, dava sinais de que queria sombra e água fresca, com certeza. Mas, pouca atenção lhe era dada. Ele grunhiu, gemeu, se contorceu um pouquinho, fez alguns gestos, mas, ainda, pouca atenção lhe era dada. Então, decidiu-se: se…